Pollyanna - Eleonor H. Porter

by - julho 21, 2013




TÍTULO: POLLYANNA
SÉRIE: -
AUTOR: ELEONOR H. PORTER
EDITORA: COMPANHIA EDITORA NACIONAL
ANO DE LANÇAMENTO: 1979 
PÁGINAS: 181
ISBN: 9788577993147

Sinopse:  A pequena Beldingsville, uma típica cidadezinha do início do século XX na Nova Inglaterra, Estados Unidos, nunca mais seria a mesma depois da chegada de Pollyanna, uma órfã de 11 anos que vai morar com a tia, a irascível e angustiada Polly Harrington. Por influência da menina, de uma hora para outras tudo começa a mudar no lugar. Tia Polly aos poucos torna-se uma pessoa melhor, mais amável, e o mesmo acontece com praticamente todos os que conhecem a garota e seu incrível "Jogo do Contente". Uma otimista incurável, Pollyana não aceita desculpas para a infelicidade e emprenha-se de corpo e alma em ensinar às pessoas o caminho de superar a tristeza. (Skoob).

Minha opinião: Antes de mais nada preciso falar que este livro me fez ver o mundo de uma outra forma. Pode até parecer clichê, mas é a mais pura verdade.


Pollyanna, é uma criança extremamente meiga e adorável, as vezes até irrita o fato dela  ser uma criaturinha tão boa e inocente. Ela perde os pais, não ao mesmo tempo, mas o fato é que ela se torna orfã e se vê obrigada a ir morar com uma tia que não conhece em uma outra cidade.

Tia Polly é uma mulher amargurada, solteirona e que só pensa em cumprir seus deveres sociais e um deles é justamente criar Pollyanna, já que sua irmã resolveu colocar mais um ser no mundo e depois partir dele deixando a responsabilidade recair sobre suas costas. Sendo assim, Polly ordena a sua criada Nancy que arrume o quartinho próximo ao sótão (isso me fez lembrar de HP <3) e vá buscar Pollyanna na estação.

Quando Pollyanna conhece sua tia, ela não se deixa afetar pelo fato de não receber o carinho que ela imaginou que receberia. A menina encontra uma parceira para jogar o “jogo do contente”, que é uma forma de encontrar o lado positivo para tudo o que acontece na vida. Esse jogo começou quando Pollyanna era mais nova e morava com o pai em outra cidade. Eles eram super pobres e dependiam de doações de outras pessoas para se sustentar. A garota, como qualquer outra criança, esperava encontrar uma boneca entre as doações. Porém, além de não encontrar boneca alguma, recebeu um par de muletas. E, é claro que ela ficou triste por isso, mas seu pai a fez enxergar as coisas de outro modo: ela deveria ficar feliz por não precisar usar as muletas. Pollyanna passou a jogar o jogo e com isso mudar a vida de muitas pessoas que a conheceram.

Acredito que todos deveriam ler esse livro, é uma lição de vida em 181 páginas envolventes. Eu comecei a ler o livro e só parei quando terminou. Ri, chorei, gargalhei, me emocionei e creio que todos vocês devem passar por esta experiência encantadora.


“Muitas vezes me acontece de brincar o jogo do contente sem pensar, a gente fica tão acostumada que brinca sem saber. Em tudo há sempre alguma coisa capaz de deixar a gente alegre; a questão é descobri-la.” 



Então, procure esse livro, se emocione com ele, e volte aqui para me contar o que achou dele. Ou conte agora mesmo, depois de ler a resenha, se você se interessou pela leitura. Espero que sim, e até a próxima!

You May Also Like

4 comentários

  1. sou a única pessoa na face da terra que ainda não leu esse livro? TODO MUNDO só fala bem dele e eu super curiosa para ler, ainda não li! preciso ler kk

    Beijos!
    http://meuvicioliterario.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Anna leia sim. Eu super recomendo.
      Agora estou desesperada para ler Pollyanna Moça =)
      Bjs!

      Excluir
  2. Ah, foi o primeiro livro que minha mãe me deu na vida. <3 Perfeito!

    www.fizdecanetinha.com

    ResponderExcluir