Vozes Roubadas - Zlata Filipovic & Melanie Challenger

by - maio 23, 2014

TÍTULO: Vozes Roubadas
SÉRIE: -
Organizadoras: Zlata Filipovic & Melanie Challenger
EDITORA: Cia. das Letras
ANO: 2008
PÁGINAS: 376
ISBN: 9788535912104

Sinopse: Durante a guerra,o diário de uma criança pode se tornar uma ferramenta poderosa. Ele funciona como um instantâneo do momento, e registra os acontecimentos da maneira menos enviesada possível, pois ainda não carrega o peso de uma análise feita após os fatos. Basta lembrarmos do diário de Anne Frank, a garota judia que durante dois anos se escondeu com a família num anexo secreto do escritório do pai, e do impacto que ele teve no pós-guerra.Da mesma maneira, foi com seu diário que Zlata Filipova,uma das editoras desse livro, alertou o mundo para os horrores da guerra da Bósnia. Em Vozes roubadas, Zlata e Challenger resgataram catorze diários de conflitos, todos escritos por crianças ou jovens, da Primeira Guerra Mundial à mais recente invasão do Iraque, passando pelo Vietnã, pela Intifada e por diversos momentos da Segunda Guerra Mundial. É o caso da jovem russa, que ingressa no front em 1940 atrás de um grande amor. Ou da menina de Cingapura, que narra as agruras de sua vida numa prisão japonesa. Esses diversos pontos de vista compõem um rico mosaico dos conflitos que abalaram o século XX e o XXI. No Oriente Médio, por exemplo, acompanhamos tanto o dia-a-dia de uma garota palestina durante a ocupação como o de uma jovem judia, vivendo sob o pavor dos ataques terroristas. Sem se ater a lados políticos ou visões específicas, Zlata e Challenger dão voz àqueles que a guerra procurou, direta e indiretamente, calar.    (Skoob).
Um compilado de quatorze diários de guerra escritos por crianças e adolescentes ao redor do mundo. Ao embarcar nesta história vi vidas, sonhos, famílias e amigos, tudo sendo engolido por homens. Estas crianças mereciam viver, estudar, formar família, viajar o mundo, sair com os amigos, ir a pracinha no sábado a tarde e serem felizes, mas nem todas tiveram essa "sorte". 
Vozes Roubadas não é o primeiro livro com a temática guerras que leio, mas foi o primeiro que não era ficção. Essas atrocidades, infelizmente, me chamam a atenção. Eu já até pensei seriamente em ser jornalista/fotógrafa e me especializar nesta área. Não me entendam mal, eu não gosto de guerras, elas são desumanas, mas tudo isto desperta uma curiosidade insaciável no meu ser.

Estes diários me fizeram embarcar para conflitos que abalaram o século XX - as duas guerras mundiais -  e o início do século XXI. O que me chamou bastante a atenção foi que, antes de cada relato, as organizadoras nos deixou um texto que nos faz entender o momento político da época e os fatos que motivaram aqueles conflitos.

Além disto, cada diário vem com um posfácio que indica o destino de cada um dos redatores, alguns sobreviveram, outros não resistiram e morreram. Há também, ao final do livro, um glossário contendo diversas explicações sobre vocábulos utilizados pelos autores dos diários e outras explicações necessárias para entendermos melhor os textos.

Nestes diários é possível ver como eles tiveram suas infâncias arruinadas. Me senti incomodada, aflita e impotente ao ver  a forma cruel como eles tiveram a inocência arrancada por estes conflitos. Estes jovens não mereciam um destino tão desumano, eles não mereciam lidar com estas perdas e encarar o mundo real tão cedo assim. Mas, é preciso lembrar que estes são apenas quatorze jovens, dos milhares que tiveram suas vidas interrompidas ou prejudicadas devido as guerras.

Esta leitura, com certeza, me transformou e vai ficar arraigada dentro de mim para sempre. Me misturei com os personagens e seus momentos de desespero, confusão, injustiça e dor se tornaram parte de mim. Assim como Zlata - uma das organizadoras e redatora de um dos diários - nos disse que se inspirou ao ler "O Diário de Anne Frank" para escrever mais, eu também senti que devo me expressar mais, ainda que seja em um diário pessoal. 

Não vou mentir, este livro é muito denso. Somos imergidos na cabeça daqueles que vão, obrigados ou não, lutar pelo seu país, ou em famílias que não abandonam suas casas, ou naqueles corajosos que apesar de tudo, conseguem abrigar pessoas embaixo de seu próprio teto. Passamos a sentir a fome de famílias inteiras escondidas num subsolo frio, nos entristecemos com o adeus sempre presente.…são muitas histórias. Histórias reais, tristes, assustadoras, mas que mostram como são pessoas, as vidas e os sonhos dentro da guerra. 

Também não vou dizer que amei os catorze diários. É óbvio que não me conectei com alguns dos redatores e acabei por não me envolver tanto como em outros. Dos que eu mais gostei, dois me chamaram muito a atenção, um era de uma garota palestina e o outro de uma israelense. É impressionante como somos levados a esta disputa de terras entre a Palestina e Israel por meio destes diários. Estas garotas são tão parecidas que em um mundo utópico elas poderiam ser melhores amigas, mas, infelizmente, a nacionalidade a torna inimigas.

Se você, assim como eu, se interessa por esta parte mais humana da guerra, recomendo incansavelmente a leitura deste livro. Claro que ficará a sensação de inconformidade e desconforto durante e depois da leitura, mas, sem sombra de dúvidas, ele se tornará um de seus melhores livros já lidos, assim como se tornou um dos meus.

*Livro cedido para resenha pela editora.
*Resenha postada anteriormente no blog Ler&Imaginar.

You May Also Like

2 comentários

  1. Já ouvi falar dos diários de Anne Frank mas nunca li...e agora tem mais esse livro, que só de ver e sinopse + resenha me arrepiei toda imaginando o relato das crianças, que sentiram na própria pele, tantos sofrimentos e testemunharam tantos horrores.
    Confesso que eu sempre preferi fugir desse tipo de leitura, com medo do choque de realidade e das "verdades feias" de que eu não queria encarar e acabei me enterrando fundo em ficções, aventuras, fantasias, romances e etc...mas tá na hora de eu procurar ler coisas mais sérias de vez em quando. Prometo que vou tentar!
    Parabéns pela resenha Ana. ^^
    Bjs!

    Camilinha. =D

    ResponderExcluir
  2. Já vi algumas resenhas sobre esse livro e estou muito curiosa para lê-lo.
    Adorei o blog, estou seguindo!
    Beijos,
    Isa.
    http://www.verbosdiversos.com/

    ResponderExcluir