2 filmes de animação japonesa donas do meu coração

by - junho 17, 2017


Recentemente eu me viciei em animes, mangás, doramas e afins. A cultura oriental sempre me cativou e aos poucos eu comecei a me envolver cada vez mais. Por conta disso, vim falar um pouco sobre esses dois filmes lindíssimos que vi e acredito fielmente que todos deveriam ver também.

O primeiro deles, Koe no Katachi (A silent voice/A voz do silêncio), conta a história de Shouya um garoto bully, que com suas brincadeiras infantis tornam a vida de sua colega de classe, Shouko, uma verdadeira tortura. Mas, apesar de tudo, ela é uma garota extremamente doce e sempre está disposta a tentar fazer novas amizades, mas por ser surda nem sempre consegue.


Conforme a coisa piora e todos ao seu redor parecem ignorar ou estimular as brincadeiras maldosas, Shouya passa dos limites, o que faz com que Shouko tenha que mudar de escola. Os outros alunos começam a culpá-lo por tudo e ele agora é quem sofre as torturas, vivendo na pele o erro que cometeu no passado. Assim, passam-se seis anos e ele decide ir atrás de Shouko para tentar corrigir seus erros e pedir perdão.



Koe no Katachi traz uma mensagem belíssima sobre amadurecimento. É também um ótimo filme para nos fazer refletir sobre os abusos dessas "brincadeirinhas" que muitos alegam ser inocentes e normais. Eu me emocionei muito com a história e me encantei com a delicadeza de como ela foi narrada.

  • O filme ganhou o prêmio do Japan Movie Critics Awards 2017 de melhor animação do ano e entrou para os meus favoritos. 
  • Koe no Katachi é baseado no mangá de mesmo nome e, recentemente, ele foi lançado aqui no Brasil pela New Pop. O mangá é bimestral e terá 7 volumes! Você pode comprá-lo na Amazon.
O segundo filme eu já falei dele aqui, mas o post se perdeu na confusão com o servidor. E como eu queria ter esse registro, resolvi voltar a compartilhar meu amor por Kimi no Na wa (Your Name).

O filme conta a história de Mitsuha, uma garota do ensino médio que mora na cidade de Itomori, na região montanhosa de Hida, e está entediada com a vida no campo e de Taki, um garoto do ensino médio que mora em Tóquio.

Em um belo dia, Mitsuha e Taki acordam e percebem algo de errado com eles. O fato é que eles estão no corpo errado, no lugar errado e não fazem ideia de como isso aconteceu. Ao princípio eles acreditam que estão em um sonho, mas logo a vida começa a rolar e eles terão que se virar com essa confusão.



Após alguns momentos hilários e embaraçosos, eles conseguem um meio de se comunicar. Eles deixam notas no caderno de Mitsuha e mensagens no telefone de Taki, e, assim, passam a intervir na vida um do outro. Mitsuha ajuda Taki a desenvolver um relacionamento com seu colega Miki, enquanto Taki ajuda Mitsuha a se tornar popular na escola. 

Este é um daqueles filmes fofos que poderia ser facilmente classificado como comédia romântica. Eu me diverti horrores com estes personagens e com suas bagunças, mas também me emocionei muitíssimo. Makoto Shinkai é, sem sombra de dúvidas, um nome de peso quando se fala em animações japonesas e com este título ele mostrou que veio ao mundo para contar boas histórias.

  • Kimi no Na wa foi indicado e recebeu diversos prêmios, como por exemplo, melhor filme no Festival de Cinema de Londres de 2016 e melhor roteiro no Japan Academy Prize de 2017.
  • Recentemente a JBC anunciou que irá lançar os três volumes do mangá e estou ansiosíssima pelo lançamento.
  • Makoto Shinkai é o mesmo diretor de diversos filmes maravilhosos e que super indico, como por exemplo, Kumo no Mukou, Yakusoku no Basho(The Place Promised in Our Early Days) e Byōsoku 5 Senchimētoru (5 centímetros por segundo).


You May Also Like

0 comentários