Movie | The Wind Rises

by - agosto 30, 2017


Vidas ao Vento é bem diferente dos outros filmes do Studio Ghibli. Para começar, traz a história biográfica de Jiro Horikoshi, um engenheiro aeronáutico bem famoso e responsável pelo modelo de caça japonês Mitsubishi A6M utilizado na Segunda Guerra Mundial. Ele também não apresenta os famosos elementos fantásticos bem marcantes do Studio e não é voltado para o público infantil.

Jiro é um jovem que sonha em voar e construir aviões e se inspira no famoso engenheiro aeronáutico italiano Caproni para seguir seus sonhos. É assim que ele ingressa em uma espécie de academia de formação de engenheiros e logo se destaca por ser extremamente inteligente e audacioso.

Este filme, com certeza, não foi o melhor trabalho de Miyazaki, mas também não é ruim. É uma história que envolve uma paixão dele, a aviação, e os desfechos que estas criações tiveram no mundo, sobretudo na guerra. O fato é que ele, assim como todos os outros, traz uma questão embutida que pode ser discutida por horas e horas. Neste caso, até onde a ciência pode ser livre de valores? Os engenheiros estavam criando sonhos ou pesadelos? Em uma das cenas estas questões chegam a ser explicitadas, o próprio Caproni discute sobre o que ele queria dos seus aviões com Jiro.


Além desta discussão e de toda essa carga histórica, o filme traz um romance bem instantâneo. Jiro conhece Naoko em uma situação bem delicada e após alguns anos eles se reencontram e resolvem ficar juntos. Este romance não é muito explorado, mas, ele deixa suas marcas e traz o drama para a história. 

Apesar de não ter entrado para os meus favoritos do Studio, Vidas ao Vento é um filme belíssimo, cheio de reflexões e com imagens de tirar o fôlego. Curti muito conhecer um pouco mais sobre a aviação e sobre o quão foi complicado idealizar tudo o que parece ser tão fácil hoje em dia. Com certeza é um filme que deve ser apreciado e que recomendo muitíssimo.

You May Also Like

0 comentários